O presidente do grupo Virgin, o milionário britânico Richard Branson, manifestou nesta quinta-feira sua satisfação por ter somado ao seu império uma companhia ferroviária privada na Flórida e prometei um serviço tão bom que fará com que os americanos deixem seus automóveis e “subam no trem”.

Branson e o presidente da Virgin Trains USA, Patrick Goddard, compareceram a uma cerimônia na qual a estação central da companhia Brightline, com a qual o grupo britânico estabeleceu uma “aliança estratégica” em novembro de 2018, passou a se chamar oficialmente Virgin MiamiCentral.

A Virgin MiamiCentral é o centro de tudo relacionado ao transporte e à mobilidade. Com a incorporação da marca Virgin, nos consolidamos como o melhor ambiente para viver, trabalhar e brincar no centro de Miami”, disse Goddard.

Sem dar números nem detalhes, Branson, de 68 anos, afirmou que o plano de financiamento da Virgin Trains para estender o atual serviço de trens de alta velocidade para passageiros entre Miami e West Palm Beach até Orlando, a turística cidade dos parques temáticos, e Tampa, no litoral oeste da Flórida, recebeu sinal verde.

No último dia 1º de março, a Virgin Trains USA compareceu a uma audiência pública em Tallahassee, capital da Flórida, para pedir a emissão de US$ 950 milhões em bônus para construir o trecho de West Palm Beach até Orlando e Tampa.

Em 2018, depois de muitos atrasos e problemas, a Brightline, que passará a se chamar Virgin Trains, colocou em funcionamento a linha entre Miami e Palm Beach, de aproximadamente 100 quilômetros.

Branson destacou que “os Estados Unidos não tiveram uma companhia ferroviária privada durante cem anos” e opinou que se os americanos preferem os carros ao trem é porque até agora não tiveram um “grande serviço” ferroviário, o que será oferecido pela Virgin Trains USA.

“O melhor de ser uma companhia privada é que se pode inovar e pensar em ideias como levar o público ao porto de trem, fazer com que as malas cheguem diretamente aos cruzeiros, ou visitar a Disney”, afirmou.

A Virgin possui trens no Reino Unido, assim como uma companhia aérea, uma agência de viagens, uma rede de hotéis e linhas de cruzeiros, entre outros negócios. Em 2018, além da “aliança estratégica” com a Brightline, a Virgin anunciou a construção de um terminal no Porto de Miami para sua divisão de cruzeiros Virgin Voyages, que anunciou que seus navios farão escala em Cuba a partir de 2020.

Fonte: EFE