Na verdade não estamos nesse Universo, mas o Universo é que está em nós!

*Por Carmen Thiago – Artista Plástica, ilustradora, designer, poeta

“No interior da vibração densa da carne, está a vibração sutil da corrente cósmica, a energia vital e, permeando tanto a carne quanto a energia vital, está a vibração ainda mais sutil: a Consciência.” (Yogananda)

Todos nós, mundo afora, temos como realidade a nossa condição física assim como tudo a nossa volta nesse mundo ou no universo como achamos que  conhecemos e com base nas informações obtidas por dados da medicina sobre nossos corpos, da ciência das coisas do mundo ou até pelos satélites como o Hoblle entre outros tantos que fotografam os corpos celestes à anos luz de distância assim como nosso planeta.

Essa materialidade toda, na verdade não existe, nem nunca existiu a não ser em nossa concepção adquirida pelas nossas experiências na fisicalidade de nossos corpos o que equivocadamente, acreditamos que somos e nas memórias dessas experiências que mantemos como verdade, já que foram as únicas coisas que realmente percebemos ter vivenciado e que nos levou a crer que são reais, por não termos buscado saber o que somos realmente… Apenas uma Consciencia experenciando escolhas feitas em nosso estado de inconsciencia dessa natureza.

Mas a realidade de nossa existência é completamente diferente de tudo o que acreditamos. Hoje usarei um pouco da ciência (por esta ser melhor entendida e aceita pela maioria de nós), que já consegue expôr uma versão mais verdadeira do que realmente somos e muito além do que possamos pensar, já que só tem acesso às novas descobertas, os físicos, os estudiosos do setor e os buscadores incansáveis da Verdade, com a capacidade de entender tais processos.

A vida em toda a sua magnitude é Energia Pura. Os físicos quânticos descobriram que os átomos que compõem a matéria considerados até então como físicos, são na verdade vórtices de energia girando e vibrando constantemente, e cada um irradiando a sua própria “assinatura” energética e única. Assim como cada átomo, nós também somos feitos dessa energia, já que somos compostos por esses átomos com toda essa energia e vibração e como cada átomo também temos nossa assinatura única realizada por nossa vibração igualmente única.

Os átomos de que nós e tudo são compostos, ao serem observados em sua estrutura vê-se apenas um número de vórtices praticamente invisíveis girando entre si, como um mini tornado compostos de quarks e fótons o que compõem esses átomos.

E quanto mais focamos nessa estrutura do átomo, menos vemos, a ponto de só restar um vazio. Ou seja, não tem nenhuma estrutura física, assim como nós também não, já que somos feitos desses átomos, o que derruba completamente a física Newtoniana. Na verdade tudo é formado apenas por um composição holística de ondas de energia mas de uma energia “imaterial”.

“Supere isso, e aceite a conclusão indiscutível. O universo é imaterial, mental e espiritual “– Richard Conn Henry, Professor de Física e Astronomia da Universidade Johns Hopkins 

(citação tirada de “O Universo Mental) 

E ele conclui – O fluxo do conhecimento está seguindo em direção a uma realidade não mecânica e imaterial, o Universo começa a se parecer mais com um grande Pensamento do que com uma máquina. A Mente não parece ser um intruso acidental no reino da matéria, antes devemos saudá-la como a criadora e governadora do reino da matéria.

Numa conclusão geral desses físicos, deixou claro que, o que cria o movimento desses átomos e os elementos que o compõe são produzidos pelo “observador”, que somos nós. O que deixou isso ainda mais claro foi a experiência da dupla fenda, que foi usado várias vezes para explorar o papel da consciência do observador que molda a natureza da realidade física, pois ao ser observada pelo cientista se comportava de maneira diferente de quando não observada.

A importância desse experimento entre outros tantos que já foram realizados e que só confirmam cada vez mais esse fato, é para nos mostrar que tudo que emanamos de nós, pensamentos, sentimentos e emoções altera todo o nosso entorno, de acordo com as frequências que escolhemos vibrar.

O que significa, que somos nós mesmos quem criamos nossa própria “realidade”. Isso tem servido para muitos buscadores entenderem nossa responsabilidade não só sobre nossas próprias vidas, como ao que ocorre ao nosso meio. Porque no nosso nível subatômico, um átomo muda seu estado de acordo com o estado que emanamos decorrente do tipo de pensamentos, emoções e sentimentos que somados geram uma frequência eletromagnética, que interage com nossos corpos e com nosso entorno.

Pois toda essa energia que emanamos está totalmente interligada a toda energia do universo. Não existe separação de nada, como pensamos por termos corpos e coisas ao nosso redor que cremos serem separados uns dos outros. É tudo uma ilusão.

Na verdade não estamos nesse Universo, mas o Universo é que está em nós!

“Se você quer conhecer os segredos do Universo, pensem em termos de energia, frequência e vibração”– Nikola Tesla.

O Pensamento, ou A Mente, como cita o físico Richard Conn Henry acima, é na verdade o que os teólogos chamam de Deus, ou A grande Consciência, a Mente Cósmica que tudo criou e a nós, que tendo sido feitos à Sua Imagem e Semelhança, não em corpos, porque Deus é a própria Fonte de toda Energia geradora da Vida, nos tornamos os seus co-criadores. E somando nosso poder de co-criar com a Criação ao livre arbítrio, criamos tudo o que percebemos não só em nossas vidas pessoais como no mundo a nossa volta. E essa energia que emanamos sem uso da Consciência Divina de onde provemos, ou seja, inconscientes do Deus e seu Amor em nós, então só criamos fora desse Amor, no seu oposto o Medo, gerador de todo o sofrimento, miséria e dor desse mundo.

E não havendo a tal “separação” como pensamos, a energia emanada de um altera a de todos à sua volta (Efeito Borboleta). Quando digo que um está atendendo a necessidade evolucional do outro, é a mais pura verdade. É isso que confirma o fato de que não existem vítimas no Plano de Deus. Porque cada um teve no seu livre arbítrio o poder de fazer suas escolhas e como toda ação gera uma reação, passaremos a prova-las em experiências, sejam elas consideradas boas ou “não boas” o que chamamos de Mal, sejam nesse corpo ou em outro que venhamos a ter em outra experiência reparadora do equívocos que cometemos nessa. Só que este é apenas resultado da nossa inconsciência de Deus em nós, o que não nos permite “vivermos” Nele e consequentemente não usufruirmos da sua Criação Perfeita que está completamente acima dessa “idéia” de dualidade do bem e do mal

E passado e futuro também não existem, o que existem são inúmeros Universos ou Multi Universos e com suas infinitas Dimensões, onde “atuamos” como a própria Ciência hoje já afirma, que devem haver pelo menos no que foram capazes de compreender 11 Dimensões paralelas em nosso Universo, onde cada uma contém uma versão de cada um de nós.

Exemplo, aqui eu sou a Carmen, mas existem pelo menos mais 10 delas por aí fazendo escolhas diferenciadas. E essas várias Dimensões apenas nesse Universo onde nos encontramos, pois cada Universo tem suas outras dimensões.

No conceito de Multiverso, imagina-se um esquema em que todas os universos agregavam-se mutuamente por uma infinita vastidão.

O físico Erwin Schrodinger  disse que, suas equações pareciam descrever várias histórias diferentes, “estas não eram alternativas, mas que tudo realmente acontece simultaneamente”. Esta é a primeira referência conhecida ao Multiverso.

Todas as experiências que provamos na vida são decorrentes de tudo o que escolhemos pensar, sentir e emanar. Não só individualmente, pois se tudo e todos estão intimamente interligados por toda a nossa energia Una, então ela se torna coletiva também, além de interligadas a toda a nossa infinita existência dentro desses Multi Universos.

A Vida é eterna e infinita em suas possibilidades.

A coisa ainda é extensa demais para a compreensão dos comuns, mas em se tratando da eternidade, o que devemos nos preocupar é, as experiências que estou tendo, estão me fazendo bem ou não? Estou curtindo ou sofrendo com elas. Caso não esteja gostando então procurar mudar essa frequência.

“No interior da vibração densa da carne, está a vibração sutil da corrente cósmica, a energia vital e, permeando tanto a carne quanto a energia vital, está a vibração ainda mais sutil: a Consciência.” (Yogananda)

A Ciência hoje só tem confirmado o que tantos místicos vem nos dizendo à milênios. Tudo o que se manifesta vem do Espírito, que é pura energia, A Grande Consciência, a Mente cósmica, ou Mente Divina, como queira chamar.

Nem todos estão prontos para “enxergar” tal realidade, e muito menos assumir qualquer responsabilidade pelas experiências vividas, pois nesses corpos que carregamos e com o qual nos identificamos criamos um personagem para apresentarmos ao mundo, que não corresponde ao nosso verdadeiro ser. Esse personagem dá-se o nome de ego, e é o personagem que pensamos ser nesse mundo, e que não só não consegue assumir responsabilidade por nada, buscando sempre os culpados fora e que vive em função do Medo, pois crendo que são corpos, e que estes são destrutíveis, fazem de tudo para mante-los vivos a qualquer preço.

Mais sobre o Ego– http://napautaonline.com.br/2018/08/12/o-ego-nosso-de-cada-dia/

Ao assumirmos nossas responsabilidades em nossos equívocos em relação à vida, entendendo que não somos esses corpos, mas que nosso ser real é de energia pura, como Deus nos criou a Sua Semelhança, e que essa energia é puro Amor, então teremos encontrado o caminho para nosso Céu. Pois nesse sonho de corpos, esquecidos de quem “realmente somos”, parecemos vivenciar o inferno.

E tudo está em nossas mãos, o tempo todo, é só olharmos para fora, e ver a quantidade de problemas que criamos nesse mundo, e entendermos que somos todos responsáveis, e decidirmos mudar nossos pensamentos, sentimentos e emoções, mudando nossa frequência para o amor, sem julgamentos, apenas vibrando nele, aprendendo apenas por ele, então estaremos ajudando imensamente as mudanças que queremos.

Muitos me respondem que não se sentem responsáveis pelos crimes horríveis que outros cometem mundo afora, mas somos sim, a partir do momento que “creio” que o mal existe, e se crer é criar, pois essa crença é derivada do que nós escolhemos livremente, sentir, pensar e emanar, e se tudo está intimamente ligado a essa energia Universal, então o que vemos fora, é o que temos dentro de nós, e automaticamente, o mal que experimentamos fora, foi criado dentro de nossa crença de que o mal existe e esse se mostrará em todas as suas formas, para confirmar a nossa crença nele. E tudo o que percebemos “fora” é nada mais, nada menos, que a projeção do que temos “dentro”.

Por isso, se temos o mínimo de boa vontade, não em consertar o mundo, porque não temos esse poder sobre o livre arbítrio de todos, mas de consertar nosso próprio mundo particular e com isso melhorar pelo menos o nosso entorno, então precisamos mudar nossa frequência pessoal, e só existem duas frequências para emanarmos, Amor ou Medo.

Trocando pensamentos de julgamentos, de sentimentos de injustiça, desejo de vingança, tristezas, indignação ou seja, todos os derivados do Medo, ou seja, qualquer pensamento ou julgamento pela aceitação de tudo exatamente como se apresenta, nos perdoando por termos colaborado com tudo a partir de nossas crenças geradas nesse Medo, então estaremos prontos para aprendermos o Amor, a única saída, o único caminho, a única e verdadeira cura de todo o mal que um dia alimentamos por simplesmente crer nele. Fomos feitos do Amor para o Amor.

Essa é a única energia que devemos buscar e encontrar em nós, por nós e por todos. Porque sendo todos nós feitos da mesma energia, somos todos Um, que nesse sonho do Tempo/Espaço em que nos encontramos pensamos equivocadamente ser separados.

E para aprendermos efetivamente esse Amor, precisamos primeiro aprender a aceitar não só nossos equívocos, como o que toda a humanidade, precisamos aprender a nos perdoar, por nossa participação em todas as “criações” humanas porque, é impossível  Amar alguém ou algo que não conseguimos nem aceitar, nem perdoar. E se o Amor é única cura real, vamos exercitar?

Pois ninguém pode fazer isso por nós. Pois cada ser é único e responsável apenas por si mesmo.

E que o Amor os toquem e os levem ào vosso Céu!

Pois este sempre existiu e sempre esteve disponível,

apenas esperando que escolhamos por ele.