O governo dos EUA confirmou neste sábado (14/09) a morte de Hamza bin Laden, o filho de Osama bin Laden considerado como seu herdeiro à frente da organização jihadista Al Qaeda.

“Hamza bin Laden, membro de alto escalão da Al Qaeda e filho de Osama bin Laden, foi morto numa operação de contraterrorismo realizada pelos Estados Unidos na região do Afeganistão/Paquistão”, declarou a Casa Branca, através de comunicado, sem informar a data da operação.

“A perda de Hamza bin Laden não só priva a Al Qaeda de importantes habilidades de liderança e da conexão simbólica com seu pai, mas debilita também importantes atividades operacionais do grupo”, acrescenta o texto.

Veículos da mídia americana haviam reportado sobre a morte de Hamza bin Laden no final de julho, baseados em informações do setor de inteligência.

No final de agosto, o secretário americano de Defesa, Mark Esper, foi o primeiro funcionário do governo americano a falar publicamente sobre o assunto, ao dizer que “entendia” que Hamza bin Laden estava morto, sem dar mais detalhes sobre o caso.

Considerado como o sucessor designado por Osama bin Laden – o fundador da organização que realizou os atentados do 11 de setembro de 2001 –, Hamza, de cerca de 30 anos, era o décimo quinto dos 20 filhos de Osama bin Laden.

Em 2017, os EUA o colocaram na “lista negra” de terroristas internacionais depois que ele convocou atentados terroristas em capitais ocidentais e ameaçou se vingar dos EUA pela morte de seu pai.

Washington havia oferecido em fevereiro uma recompensa de até US$ 1 milhão por qualquer informação sobre seu paradeiro.

Fonte: DW