Beto O’Rourke, o antigo congressista democrata do Texas e uma das promessas na corrida dos democratas à Casa Branca já não vai continuar a concorrer, avança a CNN. O anúncio foi feito pelo próprio através de um email que enviou a todos os seus apoiantes.

Embora seja difícil aceitar, agora está claro para mim que esta campanha não tem meios para avançar com sucesso”, disse O’Rourke.

“O meu serviço ao país não será como candidato ou nomeado. Reconhecer isso agora é do interesse dos que estão na campanha; é no melhor interesse deste partido enquanto procuramos unir-nos em torno de um candidato; e isso é no  melhor dos interesse para o país”, disse também o político. O democrata também não vai candidatar-se a senador em 2020, diz o mesmo canal.

A candidatura do antigo congressista foi recebida inicialmente com jubilo por muitos apoiantes democratas quando este anunciou a candidatura a 14 de março deste ano. “Este é um momento da verdade para o nosso país e para cada um de nós”, disse o político, com 47 anos, que nos últimos anos se tornou uma das principais promessas do partido, incluindo sendo o protagonista de um documentário feito pela HBO.

Em 2018, o carismático líder tentou, sem sucesso, desafiar o republicano Ted Cruz durante as eleições intercalares. Apesar da derrota, por pouco, O’Rourke mostrou grande capacidade de mobilização de apoios (e fundos) e, desde logo, foi visto como um possível candidato presidencial, cuja mensagem carismática e positiva levou a comparações com Barack Obama. Depois de três mandatos cumpridos no congresso norte-americano, que abandonou em janeiro, esta era uma corrida importante para o político.

Com a saída de O’Rourke, a corrida à nomeação democrata para defrontar Donald Trump em 2020 continua a ter a 17 candidatos: Michael Bennet, Joe Biden, Cory Booker, Steve Bullock, Pete Buttigieg, Julián Castro, John Delaney, Tulsi Gabbard, Kamala Harris, Amy Klobuchar, Wayne Messam, Bernie Sanders, Joe Sestak, Tom Steyer, Elizabeth Warren, Marianne Williamson e Andrew Yang. As primeiras eleições primárias devem decorrer a 3 de fevereiro, no Iowa.

Fonte: Observer