Ed Santos – sócio-fundador da Canada Intercambio e especialista em imigração - em uma das ExpoCanada no Brasil - Divulgação

Dia 26 de novembro a ExpoCanada chega a Goiânia

Brasil, Goiânia, novembro de 2019 – No próximo dia 26 de novembro, chega a cidade de Goiânia capital do estado de Goiás, a ExpoCanada, organizada pela Canada Intercâmbio, com várias exposições gratuitas sobre estudos, trabalhos, imigração e palestra sobre “Como tirar do papel o seu plano Canadá”. O evento será realizado no Castro’s Park Hotel, na avenida República do Líbano, 1520 – St. Oeste – Goiania, das 19h às 22h. Participação gratuita e limitada – www.expocanada.com.br.

Os principais assuntos que serão discutidos na palestra, são: os desafios e oportunidades no país; cases de sucesso (imigração de formas distintas); como se qualificar no Canadá através de estudo (high school, college, entre outros); a volta do profissional qualificado ao Brasil;  imigração através de estudos – processos imigratórios (passo a passo da imigração, processos, prazos e custos).

Divulgação

ExpoCanada itinerante

Diversos programas de estudos – De acordo com a última pesquisa divulgada no início deste ano pelo IRCC – Departamento Federal de Imigração, Refugiados e Cidadania do Canadá – o número de estudantes internacionais com permissão para estudar no país atingiu 572.415 em 31 de dezembro de 2018. O Brasil ocupou a sétima posição dos países com mais estudantes no Canadá com 13,835, com crescimento de 17% quando comparado ao ano de 2017. E a maioria dos estudantes que viajaram para o exterior em 2018, ou seja, 84,7% dos intercambistas, de acordo com a pesquisa da Belta – Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio – tinham como objetivo aperfeiçoar o inglês. A duração do intercâmbio de dois a três meses foi o mais realizado, segundo a pesquisa, respondendo por 59% das viagens. Em números gerais, o público feminino foi responsável por 62% dos intercambistas. E os jovens entre 18 e 21 anos foram os responsáveis por 26,4% dos negócios fechados.

A escolha dos intercambistas do Centro-Oeste, de acordo com a Belta (abaixo gráfico), não foi diferente. Cerca de 34% dos viajantes foram para o Canadá em busca de aperfeiçoar o inglês, já a procura por uma graduação foi responsável por 20,4%.

Fonte: Belta – pesquisa realizada em 2018

São vários os fatores que levam os brasileiros a optarem por realizar um intercâmbio: aperfeiçoar o inglês; ter uma vivência intercultural; autoconhecimento; amadurecimento pessoal; ter mais autonomia pessoal; potencializar o currículo acadêmico; ampliar o capital social e criar chances de empregos tanto no Brasil como no exterior.

O Canadá é o país mais desejado pelos intercambistas, com 31,6%, de acordo com a Belta. E a escolha é baseada em vários benefícios oferecidos pelo país: câmbio favorável; país anglofalante, qualidade de vida, facilidade no processo de visto, além de adotar políticas que favorecem os estudantes internacionais combinarem atividades de estudo e trabalho. “O Canadá é um país que oferece inúmeras oportunidades, além do inglês, como: high school, carrer college (curso técnico), college, universidades, trabalho e empreendedorismo. A partir do college, todos abrem oportunidade para que deseja migrar para o Canadá. E neste evento, traremos diversas autoridades educacionais e empresariais para apresentarem o funcionamento de cada setor canadense”, afirma o sócio-fundador da Canadá Intercâmbio, Ed Santos.

E para quem deseja ter uma conversa com mais detalhes sobre imigração, o Ed Santos – que é também especialista em imigração, reconhecido e diplomado por diversas entidades canadenses – estará para atender ao público.

Emprego e imigração para o Canadá – De acordo com pesquisas de 2017 da francesa OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – o Canadá foi considerado o país mais educado desde o início de suas pesquisas em 2010, com 56,7% dos adultos canadenses com alguma graduação ou curso técnico (pós ensino médio). Canadá está 16% acima da média da OCDE e 10% maior que os Estados Unidos. Atualmente, é avaliado como uma das 10 maiores economias do mundo.

Segundo os últimos dados divulgados, em 2018, pela Statistics Canada    (o censo canadense), o país tem mais de 37 milhões de habitantes, sendo que quase 50% deles são imigrantes.  De acordo com o Relatório Anual do Parlamento Canadense sobre Imigração de 2018 (Annual Report Parliament on Immigration), 93% dos imigrantes falam inglês ou francês. De outubro de 2017 a junho de 2018, o número de pessoas que aplicou para imigração aumentou mais de 130%. Em 2018, o Canadá admitiu 159,262 mil novos residentes permanentes pelo programa Classe Econômica, através do aplicativo de sistema de gestão Express Entry. Ainda este ano, o governo planeja admitir 176 mil residentes permanentes pela via de classe econômica. Entre 2016 e 2017, estudantes e visitantes contribuíram com mais de CAD 31 bilhões para economia canadense.

Para movimentar toda sua economia, como em qualquer país, o Canadá precisa sim de profissionais, com inglês fluente (algumas províncias exigem também o francês) mas reconhecidos e regulamentados de acordo com suas leis. “A perspectiva do Canadá é aumentar os níveis anuais de imigração para 340 mil até 2020 e reduzir o processo que demora hoje, 24 meses, para um ano apenas. Em torno de 80% do crescimento populacional é resultado da imigração”, comenta Ed.

Atualmente, o país enfrenta dois grandes problemas: baixa natalidade e aumento de idosos. A quantidade de residentes com mais de 65 anos chega a 18% da população total. Para tentar resolver esta questão, o governo canadense pretende aumentar o número de imigrantes em 1 milhão até 2021.

ExpoCanada – www.expocanada.com.br

Participantes: Toronto School of Management; Conestoga; Fanshawe; Humber; Sault College e Ed Santos (Imigração levada a sério).

Dia: 26 de novembro de 2019 – terça-feira

Horário: das 19h às 22h

Local: Castro’s Park Hotel, na avenida República do Líbano, 1520 – St. Oeste – Goiania

Entrada: gratuita