Rudy Giuliani, ex-presidente da câmara de Nova Iorque e advogado pessoal de Donald Trump, terá recorrido a dois oligarcas ucranianos para obter informações prejudiciais sobre Joe Biden, ex-vice-presidente norte-americano e atual adversário de Trump. De acordo com o New York Times, os dois magnatas ucranianos estão a ser investigados pela justiça norte-americana, sendo que um deles está indiciado por crimes de suborno, e o outro está a ser investigado pelo FBI por envolvimento num alegado escândalo bancário.

Segundo aquele jornal, tanto Dmitry Firtash, magnata do setor da energia, como Ihor Kolomoisky, estão implicados nas investigações que conduziram ao inquérito de destituição do Presidente dos Estados Unidos no Congresso e procuraram apoio legal junto de advogados do escritório do ex-mayor de Nova Iorque. Firtash, por exemplo, está a ser alvo de um processo de extradição para os Estados Unidos da América. Os colegas de Giuliani ter-se-ão disponibilizado para resolver os problemas que os oligarcas ucranianos enfrentavam na justiça norte-americana. Dmitry

Uma das reuniões terá acontecido em junho, altura em que Dmitry Firtash esteve com a equipa de advogados Lev Parnas e Igor Fruman, que confirmaram agora que se reuniram com o ucraniano a pedido de Giuliani. O conselho jurídico dado ao magnata foi simples: cooperar com a justiça no que diz respeito às informações sobre Biden.

Donald Trump é acusado de ter abusado das suas funções por ter tentado pressionar o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, a investigar atividades do filho de Joe Biden, ex-vice-Presidente e atual adversário político do Presidente norte-americano, junto de uma empresa ucraniana.

Depois da notícia do New York Times, Rudy Giuliani recorreu ao Twitter para dizer que se tratava de “fake news”, já que “nunca pedi a ninguém para procurar podres sobre Joe Biden e certamente nunca pedi a Dimitry Firtash, com quem nunca falei e nunca conheci”, escreveu.

O presidente Donald Trump também saiu em defesa do seu advogado Rudy Giuliani no passado dia 1 depois de este ser acusado de envolvimento no caso ucraniano que levou ao inquérito de destituição do Presidente dos Estados Unidos no Congresso. “Eles estão a atacar o lendário ‘caçador de crime’ e o melhor presidente de Câmara da história de Nova Iorque, Rudy Giuliani”, escreveu Trump no Twitter.

Fonte: NYT/Observadr