As autoridades de saúde da China elevaram hoje o número de mortos causado pelo coronavírus da pneumonia de Wuhan a 636, enquanto o de contágios está nos 31.161.

A Comissão Nacional de Saúde da China informou hoje de que, até à passada meia-noite local (16h00 GMT de quinta-feira), tinham sido registados 4.821 casos graves, enquanto 1.540 pessoas receberam alta.

Até ao momento, a comissão assegurou que foi efetuado um rastreamento médico a mais de 314.000 pacientes em contato próximo com os infectados, 186.000 dos quais continuam em observação.

Destes últimos, a Comissão apontou que 26.359 são casos suspeitos de ter contraído o vírus, isto é, que apresentam os sintomas habituais mas que ainda não se pôde confirmar se são devido ao novo agente infeccioso.

Os dados de hoje representam um aumento de 73 mortos a respeito do relatório do dia anterior, idêntico número ao registado na data de antes -quando tinha marcado o aumento mais alto até agora-, além de acrescentar outros 3.143 infetados à lista.

No entanto, também juntou 387 nomes aos pacientes que venceram a doença.

Das 73 mortes, 69 foram na província centro-oriental de Hubei, da qual Wuhan é capital e epicentro do surto, que permanece em quarentena ‘de facto’ desde o passado 23 de janeiro.

Segundo os últimos dados, Hubei acumula 71% dos casos confirmados a nível nacional e 97% das mortes.

Os sintomas do novo coronavírus, denominado 2019-nCoV, são em muitos casos parecidos aos de uma gripe, mas podem estar acompanhados de febre e fadiga, tosse seca e dificuldades respiratórias.

Fonte:EFE