Os Estados Unidos ultrapassaram a Itália e se tornaram neste sábado o país com mais mortes por Covid-19, com 19.701, segundo a Universidade Johns Hopkins, que monitora e coleta dados sobre a doença em todo o mundo.

Os EUA também são o país com maior número de casos de infecção pelo novo coronavírus, com 506.188. A Itália contabiliza 19.468 mortes em 152.271 casos de transmissão, e a Espanha, 16.353 óbitos em 161.852 casos.

Apesar dos números alarmantes de mortes e infecções, o presidente dos EUA, Donald Trump, tem sido otimista quanto à recuperação da economia. Até recentemente, ele queria que o país voltasse à normalidade no dia 12 de abril, mas depois aceitou que seria necessário esperar pelo menos até 1º de maio.

Para retomar a atividade econômica no início do próximo mês, o presidente criou um grupo de trabalho com esse objetivo específico. Em entrevista coletiva na sexta-feira, Trump pediu tempo para avaliar como o vírus se desenvolverá nas próximas semanas e prometeu ouvir “com muita atenção” seus assessores de saúde pública, mas mais uma vez ressaltou as vantagens de reativar a economia o mais rápido possível.

“Terei que tomar uma decisão, e só peço a Deus para que seja a decisão certa”. Mas eu diria, sem dúvida, que é a decisão mais importante que já tive que tomar”, admitiu.

A Casa Branca chegou a anunciar que o coronavírus poderia causar de 100 mil a 240 mil mortes nos EUA, mas nesta semana reduziu a projeção para 60 mil.

Entre os 50 estados do país, mais Porto Rico e o Distrito de Columbia (onde fica a capital, Washington), 42 emitiram decretos executivos para forçar seus moradores a ficarem em casa, o que significa que aproximadamente 95% da população dos EUA – cerca de 316 milhões de pessoas – cumprem isolamento social.

Fonte: EFE