No Dia Mundial do Livro, comemorado este ano durante a quarentena, coordenador da Anhanguera orienta sobre a importância da leitura e o papel da tecnologia na formação dos novos leitores

Brasília, abril de 2020 – No dia 23 de abril é comemorado o Dia Mundial do Livro. Em época de pandemia, a leitura vem se tornando forte aliada para quem quer ocupar o tempo livre durante a quarentena, sem abrir mão do conhecimento. Ainda assim, concorrentes de peso, como os smartphones e a própria internet, vêm ocupando posição de destaque nesse período de isolamento social. De acordo com o coordenador acadêmico da Anhanguera de Brasília – Pistão Sul, Heron Flores Nogueira, balancear o uso da internet com os livros é a melhor saída, principalmente com tantas opções para manter esse hábito vivo, seja por meio de e-books ou outras plataformas de leitura, como Kindle e tablets.

Segundo a edição mais recente da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro em 2016, 26% das pessoas que já ouviram falar em livros digitais leram conteúdos nesse formato. Esse número cresce para 34% entre os considerados leitores e 38% entre os que dizem gostar muito de ler no formato online. Além disso, o encantamento das crianças com os equipamentos tecnológicos, que vem desde os primeiros meses de vida, acaba criando um novo perfil de consumidores do entretenimento e também de novos leitores.

Para o coordenador da Anhanguera, a internet não deve ser vista como vilã e sim como uma aliada no incentivo à leitura. “Quando usada de forma adequada, respeitando as indicações de tempo para cada idade, a internet é uma grande colaboradora para o crescimento do consumo de livros, oferecendo novos formatos e possibilidades. Por meio do ambiente online, temos acesso a um acervo muito maior de obras, inclusive gratuitas. Nesse caso, a internet não anula o livro, eles caminham juntos! De forma rápida e natural, a tecnologia está despertando o interesse e formando novos leitores”, afirma.

A leitura virtual, inclusive, pode ser uma aliada para mudar o cenário de livros lidos pelos brasileiros. Segundo a mesma pesquisa do Instituto Pró-Livro, a média de leitura do brasileiro é de 2,54 livros por ano. A pesquisa considerou como leitor pessoas que leram ao menos um livro, inteiro ou em partes, nos 3 meses anteriores. No total, apenas 56% dos entrevistados foram considerados leitores. Entre os motivos, pode-se destacar os mais de 11,5 milhões de analfabetos no Brasil, segundo senso do IBGE de 2017 . “Essa é uma realidade que causa preocupação. Porém, tudo isso pode ser mudado a partir do incentivo, sobretudo quando se trata de crianças em desenvolvimento e da própria conscientização dos adultos. Nesse cenário, as instituições de ensino apresentam papel importante, ainda mais quando existe o estímulo dentro de casa, por parte dos familiares”, destaca Heron.

Outro ponto importante é que a leitura pode ser o portal para conhecer outros mundos, o que inclui também novas culturas e pontos de vistas diferentes. Segundo Heron, o ato de ler ajuda no aprendizado e até na formação pessoal, intelectual e socioemocional dos indivíduos. “O aprendizado que alcançamos com a leitura, somado ao que adquirimos na escola, por exemplo, fomenta a criação de novas perspectivas. A leitura pode ser vista como um ato de criação, já que desenvolve competências fundamentais, como a escrita, a interpretação, a criatividade, raciocínio crítico e a empatia. Além disso, tem o poder de nos levar para outros lugares e nos tirar do tédio e da solidão, sentimentos que tendem a aumentar nesse período de isolamento. O mesmo vale para a arte e demais processos criativos”, complementa.

Para o especialista, a leitura deve ser transformada em hábito. “Desde a barriga da mãe, a leitura deve ser incentivada. Após o nascimento, isso deve se perpetuar. Mesmo que a criança ainda não saiba ler, o simples ato de segurar um livro acaba gerando curiosidade. Criar uma rotina de leitura é um fator importante, que deve fazer parte do dia a dia das pessoas, sobretudo pelo prazer que proporciona. E datas como o dia 23 de abril, Dia Mundial do Livro, estão aí para nos fazer esse lembrete”, enfatiza.

Leitura digital durante a quarentena

Para incentivar a leitura durante os dias de reclusão, a Amazon liberou centenas de títulos para download gratuito em seu site . Grandes clássicos brasileiros, como Dom Casmurro, de Machado de Assis, e Iracema, de José de Alencar, além de famosas histórias internacionais, como Hamlet, de Willian Shakespeare, podem ser baixados sem custo. Ótimo jeito de comemorar essa data!

Sobre a Anhanguera

Fundada em 1994, a Anhanguera já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância. Presente em todos os estados brasileiros, a Anhanguera presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. Em 2014, a instituição passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse: http://www.anhanguera.com.

Sobre a Kroton

A Kroton, que faz parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, atende ao mercado B2C do Ensino Superior, levando educação de qualidade em larga escala. Presente em mais de 900 municípios em todo Brasil, a companhia conta com 176 unidades próprias, 1.410 polos de ensino a distância e 846 mil estudantes, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar. Transformar a vida das pessoas por meio da educação, formando cidadãos e preparando profissionais para o mercado, é a missão da instituição, que trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país.