O ataque a tiros mais sangrento da história moderna do Canadá, que terminou com 23 mortos no último fim de semana, começou como um caso de violência doméstica quando o suposto autor do massacre, Gabriel Wortman, agrediu a namorada.

A Polícia Montada do Canadá (RCMP) revelou em uma entrevista coletiva nesta sexta-feira que Wortman, denturista de 51 anos, bateu na companheira e a agrediu na noite de sábado, pouco antes de começar a atirar em mais de 20 pessoas que encontrou em várias comunidades rurais no leste do país. A mulher, que sobreviveu às agressões, conseguiu fugir e se esconder na mata até o início da manhã de domingo.