O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, avisou esta quarta-feira que o “risco de voltar ao confinamento é muito real” nos países que estão atualmente a aliviar as suas medidas de distanciamento social caso não seja realizado uma gestão adequada desse relaxamento.

O risco existe “sobretudo se os países não conseguem gerir com todo o cuidado a transição e não o fazem utilizando um enfoque por fases”, advertiu Tedros depois de anunciar que foram ultrapassados os 3,5 milhões de casos de COVID-19 no mundo, enquanto as mortes rondam a barreira de 250.000.

O OMS ressalta que durante a fase de desconfinamento se deve garantir que os contágios estão controlados, que o sistema de saúde pode enfrentar a transição, que o risco de novos surtos está minimizado e que foram tomadas medidas preventivas em escolas e locais de trabalho.

Fonte: EFE