A China apelou esta sexta-feira a uma cooperação “mais próxima” com os Estados Unidos na luta contra a pandemia de Covid-19, após o Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçar “interromper todas as relações” com Pequim.

“Manter relações estáveis entre a China e os Estados Unidos é do interesse fundamental dos dois povos e da paz e estabilidade no mundo”, afirmou o porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros Zhao Lijian.

Zhao pediu maior cooperação entre o seu país e os Estados Unidos na luta contra o novo coronavírus.

Há várias semanas que Trump repete que o pesado número de mortes devido a infeção pela Covid-19 – mais de 300.000 em todo o mundo – poderia ter sido evitado se a China tivesse agido responsavelmente quando o novo coronavírus foi inicialmente detetado na cidade de Wuhan, no centro da China, no final do ano passado.

Questionado sobre possíveis medidas de retaliação, Trump, disse que “há muitas coisas” que pode fazer, inclusive “terminar com o relacionamento” entre Pequim e Washington.

“Se o fizéssemos, o que aconteceria? Pouparíamos 500 mil milhões dólares se rompêssemos todas as relações”, afirmou Trump, sugerindo o fim do deficit comercial norte-americano no comércio com a China.

O Presidente dos EUA, que disse estar “muito dececionado” com a forma como Pequim geriu a crise, rejeitou a ideia de conversar diretamente com o homólogo chinês, Xi Jinping, para aliviar as tensões.

Fonte: Lusa