Um texto curto, logo você acaba de ler;
Volta a pegar seu celular e se divertir;
Ou a TV assistir, para depois reclamar;
E sua opinião tuitar, disseminando sua vontade de logo sair dessa situação;
Depois de tanto ver mortes na nação, e palavras em vão;
Pede agilidade na produção da vacina e no trabalho da ciência;
Mas faltou-lhe sapiência, para de fato exigir educação e desenvolvimento;
Coisas que sempre foram promessas, nunca foram cumpridas, serão no futuro;
Afinal é o Brasil, “o país” não é verdade?
E já que somos do futuro que tal transformarmos o futuro em outubro?
Vacina em outubro?
Não, só em 2021, mas dezembro é 2020, logo estou errado, adoraria estar;
Mas ciência não é corrida, não é esporte, cujo trabalho leva a quebra de recordes;
Ciência é vida e morte e desta vez está do lado da vida, portanto espere, superamos metade do ano praticamente;
Com calma os cientistas farão um trabalho rápido e eficiente;
Deixem-nos trabalhar e faça sua parte, proteja os demais!
Você sabe o que fazer!
Aprenderemos ao final dessa situação que imediatismo não combina com ciência;
E tudo que vemos neste momento é teste e desenvolvimento;
Coisas que a educação ensinaria;
Mas não aprendemos porque não temos. No futuro, quem sabe.

Estamos observando o processo de desenvolvimento e testes avançados de várias vacinas no Brasil e isso não significa que teremos vacinas já em 2020 para a população. Após a análise dos resultados e os ajustes necessários, entraremos na fase de produção em larga escala. Até chegarmos a esta fase, estaremos em 2021.

Tenha paciência e seja responsável, você sabe o que fazer para não se contaminar e contaminar os outros. Teremos inúmeros avanços e mudanças na população, mudanças em relação ao comércio, a saúde e ao comportamento social e isso não é ruim. Amadurecemos e nos modernizamos de forma abrupta. Olhe o lado positivo, haverá melhorias, sim, teremos muitas melhorias.

*Por Benisio Ferreira da Silva Filho é coordenador do curso de Biomedicina do Centro Universitário Internacional Uninter.