Felipe Burattini - CEO do Dandelin. Crédito Divulgação-Dandelin

Com mais de 60 especialidades e 900 médicos cadastrados, aplicativo oferece consultas ilimitadas para todo o Brasil por meio do teleatendimento

Arcar com os valores abusivos dos planos de saúde é difícil. Os custos aumentam exponencialmente a cada ano e milhões de brasileiros não conseguem pagar as mensalidades dos convênios. Além disso, o desemprego e crises atuais são um fator para que este cenário de poucos recursos financeiros se torne ainda mais preocupante.

Focado em democratizar o acesso à saúde particular, em 2018 foi lançado o Dandelin, aplicativo que conecta pacientes a médicos com base na economia compartilhada. O app visa ser uma alternativa para aqueles que não conseguem pagar as mensalidades dos planos, grupo que engloba também quem perdeu esse benefício juntamente com seus empregos.

O Dandelin permite que o cadastrado marque consultas fazendo a busca por médicos via localização, especialidade e agenda. O pagamento da mensalidade, no valor de R﹩100, é realizado no primeiro dia do mês disponibilizando ao usuários consultas ilimitadas com os médicos cadastrados.

“Facilitamos o acesso à saúde sem burocracias e com um preço viável. É uma forma das pessoas terem um canal mais barato a médicos da rede particular, mesmo durante tempos mais difíceis”, afirma a COO e cofundadora do Dandelin, Mára Rêdiggollo.

Com a pandemia do Coronavírus, o Dandelin evoluiu suas operações e passou oferecer a possibilidade de teleatendimento. Com isso, a startup amplia o alcance da sua base de médicos para todo o Brasil, eliminando as distâncias físicas. A plataforma se torna um canal seguro para o primeiro contato com os profissionais de saúde e esclarecimento de dúvidas, além de auxiliar na contenção do vírus via redução de pessoas nas ruas e clínicas.

O aplicativo hoje concentra suas atividades presenciais em São Paulo e na Grande São Paulo, com mais de 4000 pacientes cadastrados e, aproximadamente, 900 médicos na base. Juntos eles somam mais de 61 especialidades e 40 mil horários disponíveis.

“Para ser registrado na nossa base o paciente precisa apenas ser maior de 16 anos e ter acesso ao pagamento via cartão de crédito. Não fazemos distinção de idade, CEP, holerite ou qualquer outro fator externo. Todo mundo se ajuda”, finaliza a COO.

Sobre o Dandelin

Desenvolvido com base em princípios de economia compartilhada, o Dandelin é um aplicativo que conecta pacientes a médicos. A startup facilita o agendamento de consultas e permite a busca por profissionais de saúde por localização, especialidade, entre outros fatores. A healthtech evoluiu suas operações e também oferece aos cadastrados um canal para teleatendimento. O pagamento da mensalidade, no valor de R﹩100, é realizado no primeiro dia do mês e permite que o usuário tenha acesso às consultas ilimitadas com os médicos cadastrados. Acesse o site dandelin.io e saiba mais.