Quando faltam apenas duas semanas para as eleições nos Estados Unidos, as sondagens apontam a um revés para o presidente Donald Trump e alargam a liderança do candidato democrata Joe Biden em vários estados.

A sondagem elaborada pela CNN sobre 10 estados considerados cruciais nas eleições presidenciais mostra esta terça-feira uma disputa muito renhida entre Biden e Trump em sete deles, com o candidato democrata a liderar nos outros três, que votaram Trump em 2016.

Na Pensilvânia, Michigan e Wisconsin, as sondagens mostram que Biden tem não só o apoio de uma maioria de potenciais eleitores mas também uma vantagem substancial sobre o candidato republicano, que procura a reeleição.

Uma sondagem nacional de prováveis eleitores, realizada de 16 a 18 de outubro pela YouGov para a Yahoo News, mostra que a vantagem de Biden sobre Trump aumentou para 11 pontos percentuais, com 51% dos inquiridos prontos a votar no antigo vice-presidente democrata.

A vantagem de Biden nesta sondagem aumentou em três pontos percentuais face à semana anterior.

“O presidente lutou para recuperar terreno nas últimas três semanas depois de um fraco desempenho no primeiro debate (com Biden), e um surto de covid-19 que o enviou para o hospital e infetou várias pessoas na Casa Branca”, apontou a Yahoo!

“A principal razão pela qual Trump parece ter perdido mais pontos nos últimos dias é que os casos de coronavírus continuam a aumentar à medida que a campanha se aproxima do fim”, acrescentou o site.

A sondagem realizada hoje pela RealClearPolitics mostra Biden com um apoio de 51,1% dos prováveis eleitores contra os 42,5% de Trump.

Se as eleições se realizassem hoje, de acordo com a RealClearPolitics, o candidato democrata ganharia, com toda a segurança, 216 delegados do Colégio Eleitoral, enquanto Trump ganharia 125. Para vencer as eleições presidenciais são necessários 270 votos do Colégio Eleitoral.

A plataforma fivethirtyeight.com, que faz hoje a sua própria sondagem, indica que 53,6% dos potenciais eleitores desaprovam o desempenho de Trump, aprovado por 43,7%.

Ao longo do seu mandato na Casa Branca, que começou em janeiro de 2017, Trump nunca excedeu uma taxa de aprovação de 45% nesta análise.

A 270towin.com, por sua vez, mostra que, se as eleições se realizassem esta semana, Biden teria 290 votos garantidos no Colégio Eleitoral, enquanto Trump tem um forte apoio de estados que lhe dariam 163 delegados, havendo cerca de 85 delegados ao nível nacional que correspondem a estados onde a disputa continua renhida.

Fonte: EFE